Quinta-feira, 1 de Novembro de 2007

no céu ainda há estrelas...

Tu já me perde-te, mas no céu ainda há estrelas,
Doce quadro com as terras queimadas do sol,
Vale de miragens cheio da agua que bate em pedra mole,
Não sei mais o que fazer, já virei o mundo do avesso,
Eu mereço mais, sou capaz por ti de pagar o preço,
Dedicado e perdido, não tenho mais mapa para ver,
Hoje é o primeiro dia dos muitos que me vais perder,
Em vales esquecidos deixo o prazer do imediato,
Hoje não há soma, nem raiz de numero exacto,
Tenho saudades do amor, daquele forte e sem barreiras,
Dos que aquecem as noites, dos que acendem as fogueiras,
Contigo parece sempre mais difícil, talvez veja muitas histórias,
Parece que não guardo as coisas boas, mas guardo, hoje são memórias,
Sou aranha que enreda, mas linhas nem vê-las,
Tu já me perdes-te mas o céu ainda tem estrelas,
O mundo ainda roda, não muda na verdade,
Talvez esteja na hora de viver alguma liberdade,
Por outro lado sou raposa, já presa por algum tempo,
Dedico-me às palavras e vejo sempre onde me sento,
Aqui, cada estrela é um momento, já são tantas e não esqueço,
Tiro partido das linhas, só elas me dão tudo aquilo que mereço,
Descanso e desço, peço desculpa e volto a perder,
Talvez não tenha de perder sempre, talvez algo mais para fazer,
Já rodei as linhas, perdi frases, doces encantadas,
Umas já bateram certas, outras completamente erradas,
Acabo de ver uma estrela cadente, curioso estar sozinho aqui e agora,
Curioso amar alguém e sentir vontade de ir embora,
Quero mais para mim, mais de ti, sem ter fim,
Sinto-me farto de frases de amor vazias, daqueles que nada fazem,
A vida é um palco, actua, faz alguma coisa, não fiques à margem,
Já sinto o frio que corre, que me embala que me adormece,
As vozes só ecoam, só me pedem…procura noutro lado…esquece.
publicado por JF às 11:25
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Maria a 5 de Novembro de 2007 às 00:20
Olá Jony.
Tanta verdade em teu poema,mas por vezes as linhas são
emaranhados de palavras que ficam dentro de botões de flores selvagens e que não deixam passar a mensagem.
Gostei muito do teu poema.
Beijinhos e um sorriso
Maria

Comentar post

.Outubro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. um fim...e um inicio...

. doce meu...

. asas para voar...

. eu volto...

. rodrigo leão...

. em ti...

. adormecer o meu dia...

. ontem, hoje e amanhã...

. música...

. nova melodia...

.arquivos

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.pesquisar

 

.links

.mais sobre mim