Terça-feira, 3 de Abril de 2007

apenas tarde...

Chegas-te tarde,
Ninguém te tira o mérito, de chamares a ti o que os meus olhos querem ver,
Já tiveste o ensejo para me veres a te querer,
Mas…do tic-tac, tic-tac, a hora passou depressa,
E hoje, o tempo já te mostra outra conversa,
Ainda sei que valor tens, provavelmente serias perfeita enfim,
Do tic-tac, fica o quanto já foste para mim,
Porque agora? Já não tens mais espaço,
Sabes ler concreto? Não tentes atar um laço,
Que só te prenderá a ti, mas não a mim,
Do ponto final, nasce outro fim,
Porque podia ter sido perfeito, escrevendo torto ou direito,
Aquilo que me vai no peito,
Só te podes sentar numa cadeira que esteja vazia de um corpo,
Ou se não tiver dono, podes beber desse copo,
Não é o caso, porque do tic-tac, tic-tac tudo passou,
A noite fez serão e o dia em mim voltou…
publicado por JF às 01:09
link | comentar | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 1 de Abril de 2007

embalo...

Suspiros, gemidos, testamos tecidos, dissolvemos comprimidos,
Ócios, ódios, pedaços de arte e erros que são assumidos,
Não me importa como me vês, ou me sentes talvez,
Vou dar-te o mote, calando-te de vez,
Na folha compacto, letras e letras, das recentes às antigas,
Espelham-se as palavras bonitas que são minhas amigas,
Rodeio-me de sombras, tudo bem, é por aí,
Digo coisas que nunca vi, nem nunca senti,
Farsas, desgraças, historias que oiço ou que imagino,
Criatividade espontânea, de quem não é assim tão pequeno,
Brinco contigo, que olhas e descodificas,
Também entras neste barco tu que só complicas,
Porque dos momentos, tens de saber tirar o melhor só para ti,
Não sei se estou certo ou errado, apenas sou assim,
E mudar? Não faz parte do panorama deste criador louco,
Talvez mude, mas muito pouco a pouco,
O que podes esperar? Tudo, nada, coisas assim assim,
Depende do que fazes para seres importante para mim,
Por enquanto enquadra-te no espaço deserto dos panos que corto,
E podes ficar mais perto, enquanto conseguir olhar o teu cabelo solto,
Mas depois? O que tem depois? Nunca o deserto vai ser tão claro,
Como o doce do sonho e arrepio do pesadelo, que juntos hoje embalo.
publicado por JF às 18:51
link | comentar | favorito

.Outubro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. um fim...e um inicio...

. doce meu...

. asas para voar...

. eu volto...

. rodrigo leão...

. em ti...

. adormecer o meu dia...

. ontem, hoje e amanhã...

. música...

. nova melodia...

.arquivos

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.pesquisar

 

.links

.mais sobre mim