Quinta-feira, 8 de Junho de 2006

3º mundo...

Acende-se a luz por fim,
Para os que tendem a perder-se na escuridão,
Hoje a tarde fez serão,
E os restos mortais espalham-se por todo o lado,
Os vultos vão sentindo arrepios,
E os monstros pavoneiam-se por debaixo dos lençóis,
Gritos ecoam nos ouvidos mais sensíveis,
E então todas as formas se tornam previsíveis,
Correm de um lado para o outro,
Fogem das suas próprias imagens,
E procuram embalo nas trincheiras mais cobertas,
Aí, debaixo do mundo, onde ninguém chega,
Onde o sonho se despega,
E se torna um pesadelo,
Lá fora, ainda se ouvem vozes,
Malabaristas do civismo condenam sem sentenciar,
Procuram as palavras certas para obrigar sem mandar,
As crianças vão brincando,
Espalhando os seus sorrisos pela relva mais molhada,
Na alma trazem ilusões,
No corpo trazem marcas,
Na pele mais castigada…
publicado por JF às 22:33
link do post | comentar | favorito

.Outubro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. um fim...e um inicio...

. doce meu...

. asas para voar...

. eu volto...

. rodrigo leão...

. em ti...

. adormecer o meu dia...

. ontem, hoje e amanhã...

. música...

. nova melodia...

.arquivos

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.pesquisar

 

.links

.mais sobre mim