Segunda-feira, 22 de Outubro de 2007

Extinguem-se as palavras...

Pouco me importam os teus erros, desses os demais,
A certeza é única, nós somos iguais,
A inspiração que nos faz esquecer dos lamentos,
Deixam-se os copos vazios e usados,
A sala está tão desabitada hoje, faltas tu,
Para mal dos meus tormentos,
Eu estou aqui, sentado no lugar de sempre,
Suspirando como sempre que tudo vai mal,
Que as ervas já não crescem, que o sol já não nasce,
Mas já não estás aqui para me ouvir,
Só a minha sombra vai ganhando vida própria,
Porque o resto já está morto,
Extinguem-se as últimas palavras…
Perdoa-me, por não esquecer o mal que tenho em mim,
Por não apagar as palavras que magoam,
Por não perder as mil e uma formas que tenho de te magoar,
Extinguem-se as palavras,
Tal como os corpos à minha volta.
publicado por JF às 20:37
link do post | comentar | favorito
|

.visitas

.Outubro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. um fim...e um inicio...

. doce meu...

. asas para voar...

. eu volto...

. rodrigo leão...

. em ti...

. adormecer o meu dia...

. ontem, hoje e amanhã...

. música...

. nova melodia...

.arquivos

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.pesquisar

 

.links

.mais sobre mim